Grita, diz, faz...
Questões do mundo atual

Será a corrupção um problema possível de se resolver?

Enviado por
Guilherme, 16 anos, Albufeira
Data
29 Maio, 2023

 A questão da corrupção tem sido diversas vezes discutida e, de facto, é um problema do qual nenhuma sociedade esta livre. Nós, seres humanos, tal como todos os seres vivos, conseguimos habituar-nos a viver em sociedade e isso já é um grande feito, se tal não tivesse acontecido provavelmente ainda estaríamos a lutar por um simples pedaço de carne e, certamente, não estaríamos tão evoluídos, porque sem regras e organização cada individuo teria de lutar pela sua sobrevivência. 

Mas, nada é perfeito, apesar de termos criado uma sociedade bem organizada, há um problema que está a abrandar, ou até mesmo estagnar, o desenvolvimento de certos países, a corrupção. Receio que esse problema não esteja relacionado com o nosso sistema, nem com as nossas leis, mas sim com nós próprios. Grandes filósofos estudaram esses comportamentos desviantes e chegaram á conclusão que nós, somos seres gananciosos, invejosos e traiçoeiros, tomamos decisões de acordo com as nossas vontades e interesses, e não importa o que tentemos fazer, voltamos sempre a cometer os mesmos erros, o que já acontece desde os primórdios da humanidade. 

Considero que estes comportamentos, inaceitáveis, também acontecem dentro dos nossos governos, das nossas câmaras, das nossas empresas. Políticos e gestores que ao trabalharem com grandes quantias de dinheiro tendem a desviarem algum desse dinheiro, proveniente de fundos do governo, que por sua vez provém de nós, contribuintes. 

Infelizmente esta questão já é bastante comum nos nossos dias, presumo que todos saibamos o que é a corrupção e nenhum país está imune à mesma. O abuso dos cargos públicos para ganho pessoal corrói a confiança das pessoas no governo e nas instituições, reduz a eficácia e justiça das políticas públicas e desvia o dinheiro dos contribuintes que iria para escolas, estradas e hospitais para as contas pessoais, muitas vezes escondido em offshore ou em empresas fantasmas. 

Por exemplo, Portugal é um dos países mais corruptos da europa, em média estima-se que 18 mil milhões de euros sejam desviados todos os anos, grandes projetos de construções públicas são cancelados por falta de verba, temos o exemplo do hospital central do algarve que ia ser construído em 

Albufeira, do novo aeroporto de Lisboa, entre muitas outras obras. Apesar disso, ainda assim conseguimos desenvolvermo-nos, com a ajuda dos fundos provenientes do fundo europeu, ao contrário de alguns países onde a situação é tão grave que os fundos do estado não são suficientes para garantir o seu desenvolvimento. 

Para termos noção, alguns dos países onde a corrupção é enorme, não têm dinheiro para investir em áreas sociais, como a indústria, saúde e educação e é nesses países que a escravidão é mais comum, locais onde as pessoas trabalham 18h por dia, durante sete dias por semana, para ganhar uns míseros tostões que garantem a sua sobrevivência e a da respetiva família. O maior número de países, com elevada taxa de corrupção, encontra-se em África, ou na Índia, mas é no continente africano que esses problemas se agravam mais. 

Mas, porque é que nós, pessoas com uma vida financeira estável, não tentamos ajudar, não somos todos da mesma espécie, não devíamos ajudar, como todas as outras espécies fazem? Bem, a resposta a essa pergunta é complicada, pois as associações e os governos de países desenvolvidos não podem, simplesmente, enviar dinheiro para esses países, pois certamente que não vai ser utilizado para fins lucrativos, mas sim desviados para corrupção e proveito e sustento das famílias dos líderes. 

Para evitar o desenvolvimento da corrupção nesses países o governo criou estratégias de ajuda, sem ser com a entrega de dinheiro, através de envio de bens essenciais, devidamente organizados por instituições, e até mesmo isso, origina por vezes desvio de mercadorias. Os governos desses países, ao não terem dinheiro suficiente para investir em setores sociais que possibilitam a entrega de bens, como alimentos, medicamentos, etc., acaba por aumentar a corrupção. Sendo assim há alguma maneira de parar a corrupção? 

A corrupção é proibida por lei e se algum político for apanhado a fazê-lo é preso, existem mecanismos que tentam travar a corrupção, mas, sem vontade política não há́ nada a fazer, precisamos de vontade política para criar instituições fiscais fortes que promovam a integridade e a responsabilidade e devolvam a confiança aos nossos governos. 

Mas, quando é o próprio governo que rouba, descaradamente o povo, então as estratégias para o combate à corrupção falham e todos os dias vemos notícias de pessoas com grandes cargos no poder que estão a serem investigadas por desvio de fundos. Como podemos dar a volta a uma situação que não tem forma de dar? 

Acontece que o próprio governo que rouba o seu povo, também o faz com impostos muito altos e injustos, exigindo da população o pagamento de impostos em praticamente tudo o que tem e que tem de declarar, mas o governo não declara nada do que faz, esconde, o que é um contra-senso. Porque é que, o governo, com os fundos retirados às pessoas, não investem numa instituição de apoio às pessoas com necessidades? Ou será que esse dinheiro também seria roubado? 

Considero que a corrupção é um círculo vicioso e sem volta a dar, apanhamos uns e aparecem outros, está colado à nossa existência e é uma forma de sobrevivência, na qual os mais ricos exploram os mais podres, será sempre assim. Este problema deixa os povos menos confiantes e sem esperanças para o futuro, o que afeta a taxa de natalidade, que posteriormente causará o decréscimo da população. 

Questões do mundo atual

A Paz é a felicidade que a liberdade nos dá.

Enviado por Maria, 5º ano, Ferreira do Zêzere
Questões do mundo atual

Paz: o sonho de um mundo melhor

Enviado por Camila, 5º ano, Ferreira do Zêzere
Questões do mundo atual

Diz não ao Bullying

Enviado por Daniela Vieira, Catarina Santos, Arouca